jueves, 7 de marzo de 2013

Sobre o existir



O coração não batia mais. Um profundo silêncio tomara conta de seu ser. O silêncio da inexistência. O silêncio de não se saber mais. Apenas uma dor aguda percorria seu corpo e insistia em lhe lembrar  que ainda estava viva.
A ausência de si era-lhe insuportável. Por mais que buscasse não se encontrava. Fora-se perdendo no imenso e silencioso labirinto de seu ser. Não se via. Não se sabia. Apenas sentia uma dor aguda. Aguda. Que insistia em lhe lembrar que ainda estava viva.