domingo, 30 de octubre de 2011

Distâncias

Diante do papel, pensava em tudo o que tinha para lhe dizer. Por onde começar, não sabia. Como dizer o indizível? O sentir era tanto que não cabia em palavras. Mas, eram as palavras que os ligavam, elas eram o único contato que tinham, sem elas, eles não existiam. E ela sabia no mais profundo de sua alma, que ali residia o abismo, a distância entre eles. Para Ser com o outro é preciso olhares, é preciso toques, é preciso abraços, é preciso encontros... E exatamente por saber, que as palavras silenciaram nela, sua alma não podia mais se dizer somente em palavras, precisava do olhar do outro sobre si, precisava sentir através desse olhar, que ela lhe tocara a alma. Não podia mais, o que antes lhe era leve, agora pesava em sua alma. Levantou-se então, deixando o papel em branco, sabendo em seu coração que estava se despedindo...

No hay comentarios:

Publicar un comentario